Seu Matheus e histórias que atravessam o tempo

O nome José Ananias Matheus significa alguma coisa pra você? Talvez você o conheça como “seu Matheus”. Ele é o responsável por assegurar a travessia de milhares de alunos de um colégio tradicional de Sorocaba desde 1975. Se você foi uma dessas crianças que cruzou o caminho do Seu Matheus, certamente o guarda na memória e no coração.

E se ainda não o conhece, chegou a hora de descobrir mais sobre esse personagem ilustre que, através do seu amor e dedicação diários por aquilo que faz, transformou e continua a transformar a vida de incontáveis jovens.

Seu Matheus tem 77 anos e é uma daquelas pessoas com carisma único, alma pura, que encontramos uma ou duas vezes na vida, quando se tem muita sorte. Um homem cativante, simples e de sorriso largo, daqueles que bastam dois dedinhos de prosa pra te conquistar e te fazer querer chamá-lo de “amigo”.

Nasceu em Santa Cruz do Rio Pardo, em agosto de 1944, mas vivia com a família em São Pedro Turvo (na região de Ourinhos, a 241 km de São Paulo) e começou a trabalhar logo aos 14 anos. Mais tarde, com 26 anos, conta que o pai resolveu abandonar a roça e mudar para a cidade. O município escolhido: Sorocaba.

Na época, lembra de ficar receoso com a mudança e chegou a questionar a mãe sobre a decisão. “Eu tinha estudado só até a quarta série, não lia muito bem, então falei isso pra minha mãe. Perguntei: o que vai ter lá em Sorocaba pra mim, mãe?”, conta. O jovem Matheus ainda não sabia, mas essa viria a ser a cidade onde criaria histórias e transformaria vidas.

Logo que chegou, conseguiu um emprego como vigilante noturno em um colégio de Sorocaba. Cinco anos depois, em 1975, a coordenadora do colégio o chamou para uma conversa e lhe ofereceu a vaga de Inspetor de Alunos. “Um jovem negro, pobre e com pouco estudo, como eu poderia desempenhar essa função?”, questionou na época. E a resposta foi: “Não estamos interessados na sua formação acadêmica. O que nos importa é a sua personalidade e a forma como você conquista as pessoas”.

Ali começava a jornada de seu Matheus como inspetor de alunos. Mais do que isso, como guardião do bem-estar deles. Como conselheiro, cuidador. Ao longo de décadas, foram muitas amizades construídas. E ele garante: guarda cada um dos alunos dentro do coração. “Muitas vezes alguns adultos me param na rua, no mercado, no ônibus e me perguntam se eu sou o Matheus do colégio”, revela. E completa: “Às vezes demora um pouquinho, mas eu sempre acabo me lembrando do nome do ex-aluno e eles ficam impressionados”.

Parte das suas funções é ajudar os alunos a atravessarem a rua logo quando chegam à escola e depois que as aulas terminam. Talvez por isso, poeticamente, suas histórias também atravessem o tempo.

E o segredo para toda essa trajetória memorável? De acordo com Matheus, é o respeito. “Quando você trata um jovem ou criança com respeito e educação, isso tudo volta pra você. Muitas vezes eles estão exaltados e frustrados e eu costumo dar espaço para que falem o que pensam. Aí depois eu explico, aconselho e eles sempre voltam para me agradecer”, afirma.

“Neste momento é quando eu sei que criamos um laço eterno de amizade. Eu costumo dizer que eles têm em mim um amigo para todas as horas e eu sempre estarei de braços abertos para ajudar”.

Matheus já dedicou 51 anos de trabalho no colégio. Ao longo desse tempo, milhares de crianças e jovens puderam conhecê-lo, receber seus conselhos e se desenvolver sob seus cuidados.

Quando questionado se já parou pra pensar sobre a dimensão desse feito, ele para de falar por uns instantes e seu olhar se perde nas memórias. “Olha, rapaz… Eu só posso dizer que sou muito abençoado, viu. Sempre fui respeitado e sou muito grato por tudo o que aconteceu na minha vida. Quando Deus um dia me chamar, vou ter só orgulho de tudo”.

Depois de um longo período de entrevista (que mais pareceu um bate-papo), me despeço do seu Matheus e peço desculpas por tê-lo segurado por mais de uma hora além de seu horário. Ele vai embora de bicicleta, como todos os dias, e ao chegar em casa vai rever e alimentar seus bichos que o aguardam ansiosos. São três cachorros, duas calopsitas e um gato (que inclusive o acorda todos os dias, pontualmente, para o trabalho).

Aparentemente, o coração gigante e generoso de seu Matheus é, de fato, muito disputado. E depois de uma tarde toda ouvindo suas histórias e feitos, sinto que o conheço há muito tempo e me alegra pensar que também conquistei um espacinho nele.

Por Guilherme Martins


4 replies on “Seu Matheus e histórias que atravessam o tempo”

História linda, seu Matheus é um verdadeiro anjo para todos. Sorocaba é cheia de pessoas com ótimas histórias, uma que eu gostaria de saber mais detalhes e lhes recomendo é o Valter Luiz, famoso “Valtinho da 2”. Parabéns pelo texto, grande abraço!

Sensacional !!!

Sr. Matheus fez parte da minha infancia e parte da adolecencia aos Sábados e Domingos de treino de futebol…eu não estudava no colégio, mas lembro-me facilmente como ele tratava a todos: muito respeito e carinho !!!

Saudades dessa grande pessoa!

Maravilhosa !!!
Matheus é o nosso Anjo!!!
Seu olhar e sua paciência com todos , só podem ser artes de anjos .
Convivo com ele todos os dias e realmente é uma pessoa abençoada.
Privilégio ter proximidade do Matheus…
Muito amado por todos… Deus o abençoe e D. Bosco o inspire para sempre !!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *